Músicas

Ouça o samba enredo do bloco Só o Cume Interessa para o Carnaval 2008

Só o Cume Interessa
(Composição Rodolfo Campos)
image

Nesse Carnaval eu quero escalar

Não tem nada que me impeça

Não vou dizer que não gosto de beijar

Mas só o cume interessa

No cume eu encontro alegria

No cume eu encontro emoção

É lá que está o bom da vida

De lá eu não vou sair mais não

Já levei muito tombo

Já ralei à beça

Neste Carnaval

Só o cume interessa

Chegar no cume não é fácil

Ás vezes é pura ralação

Hoje não importa como eu chego

Eu quero é sentir a emoção

Posso cair de paraquedas

Catapulta, canhão ou avião

Se só o cume interessa

Vou mer dar bem nesse verão

As músicas abaixo disponíveis eram cantadas por sócios do CEG, nos primeiros anos de sua existência. Compostas no final dos anos 50, início dos anos 60, seus autores são: Maurício Alves de Castilho (MAC) ou Fernando Rocha Palmeiro (FP). Foram gravadas em 21 de agosto de 1982 nas vozes de Maurício e Suelly da Silva Ribeiro, diretamente em gravador mono, sem recursos técnicos e sem acompanhamento instrumental. Valem, porém, como registro histórico. Para ouvi-las, clique no nome da música.

01 – Apresentação

02 – Suelly Bronquinha

Suelly, Suelly, mais animada que você eu nunca vi

Suelly, Suelly, tagarelice é assunto para ti

E tem ainda mais uma coisa

Em que você é mesmo a tal:

É na bronquinha, ô Luluzinha,

Em que você é a maioral.

03 – Bolha Dengosa

Ivete Cor-de-Rosa, tu deixas de ser prosa

Se perdes essa festa,

A turma lá do clube vai te chamar de dengosa

Ivete Cor-de-Rosa, se perde uma escalada

Fica contrariada e protesta

Agora ela tem que se virar

Porquê se ela não for, vai virar bolha-de-festa

04 – O Nossa Guanabara

Com o Guanabara nenhum clube se compara

É o centro excursionista

A cujo encanto não há mesmo quem resista.

Lá dentro tem de tudo:

Tem coisa séria e também tem brincadeira

O nosso Guanabara

É o melhor clube da terra brasileira!

05 – Língua de Sogra

O nosso Guanabara

Tem tanto boy’s club” que não para

E agora o que está muito na moda

É o tal Língua de Sogra, é o tal Língua de Sogra!

Falam, falam, falam deles

Falam, falam, falam delas

Botam a tesoura pra espicaçar

E pro clube funcionar.

06 – A Turma do Deixa-Disso

Nós somos a turma do “deixa-disso”

Ficamos quase sempre pra trás

Se o negócio escurecer e alguém aparecer

Grita logo: deixa disso!

Porém se uma dona distinta

Ficar pra trás e der o azar

Com alguém que não tenha nada a ver com isso

A turma grita logo: não te esconde, deixa disso!

07 – Adeus Jiló (MAC)

Ele nasceu, em nossa alma viveu

E agora morreu, morreu mas sua chama

Que nos inflama permaneceu.

Nossa devoção ao seu nome, então

Jamais irá nos faltar, iremos sempre cantar

Àquele que nos veio associar

08 – Marcha do Frederico (FP)

O Frederico deu ordem pra turma do Grajaú (u-u)

A ordem foi boa e foi essa: hoje todo o mundo nu!

Com o calor que está fazendo

É melhor andar sem roupa

E eu “tô dando sopa”

Se o Frederico quiser,

Eu saio até de tanga chupando picolé!

09 – Marchinha do Italiano

Se sou italiano, me chamam de Kid Mussarella

Não gosto de você, mas eu gosto muito dela.

“Yo doppo pranzo, yo dopo pranzo

Cho voluntá de rendare ao cinemá”

O ragazza bella, o ragazza bella

Se vens comigo,

Eu sou capaz de te amar.

10 – Os Bolhas do Corcovado

Lá no clube Guanabara onde todo mundo anda

Tem um tal de Corcovado Boy’s Club

Onde os bolhas é quem mandam

Se é pra andar, excursionar, ou fazer uma escalada

Não podem contar com eles (os bolhas do Corcovado)

Que essa turma não é de nada

11 – Gente-Bem na Gafieira

Queria ver essa gente-bem do café soçaite (ai, ai, ai)

Dançar numa gafieira, sambar sem a luz da Light

Queria ver essa gente do asfalto

Dançar um samba de breque de sapato alto.

Ai, ai morena americanizada

Meio sofisticada, nunca me convenceu

Por isso eu gosto da morena de Mangueira

Que dá nó nas cadeiras

Quando cai na batucada

12 – O Frevo no Guanabara

Carnaval, carnaval, carnaval, carnaval no Guanabara

É o maior, é o melhor, sem igual

Tem um frevo que não para

Reúne toda a corriola bebendo caçula e Coca-Cola

E leva tudo na brincadeira do domingo até 4ª-feira

A turma é de gente muito fina

Confete, perfume e serpentina

O frevo esquenta e a turma é cara

À alegria que vem do Guanabara

13 – A Diretoria

Lá no clube, o Guanabara

Nós temos uma tal diretoria

Quero ver quem que faria tudo que ela faz

Nós temos o nosso Presidente

Que é o tipo do sério-sorridente

E temos também nosso Vice

Que seria se ele não existisse?

Que tal se falar no Tesoureiro?

Que leva todo o nosso dinheiro.

E aquela que jamais, nunca nos falha

É a nossa Secretária, ta-ra-ra-ra-ra-rá

14 – Marcha do Barrigudo

Foi de tomar cachaça, foi de beber de tudo

Foi de gostar de chope que eu fiquei tão barrigudo, oi!

Quando entro na dança, minha pança só faz sacudir

É que ela está cheia de chopp, cachaça e Parati!

15 – Saudade do Guanabara

Em toda a vez que a gente parte

Deixando o Rio para trás

O tempo parece eternidade

Se chora até não poder mais.

Saudades do Guanabara é tal que nos desampara

É coisa que não nos deixa e a gente só se queixa

De estar cá e não estar lá

Saudade que remói, nos maltrata

E dói o coração até parar

(Essa saudade do Guanabara

É de verdade, nunca para)

16 – Hino ao Guanabara

Para a frente, sempre e sempre olhando

Sem temos sentir por sua sorte

Esse grupo enfrenta o futuro confiando

Em que o seu ideal é bem mais forte

Varonil que seja o seu semblante

Tão mais nobre quanto gentil

Nosso esporte nos honra e enobrece

Nos orgulha e ao nosso Brasil.

Ao ar livre dos montes nós vamos

Juventude briosa, alma harmoniosa

Da terra que vem nos consagrar.

Guanabara! Guanabara!

Entre tantos hás de te inspirar

Nas montanhas, nas serras, em teu nome saberás

O Brasil exaltar

Corações palpitantes de ardor

Alegrias trouxeste e o amor

Nossos brados clamando a ti: saudar

Mil ternuras e encantos: louvar

No esplendor dessa terra querida do Brasil

Guanabara surgiu!

17 – Neide “Be Good

Oh doce e amorosa, Neide “be good”

Oh Neide “be good” pra mim

És tão calorosa perto de mim

Oh Neide “be good” assim

(*) Adaptação de “Lady Be Good” de George & Ira Gershwin

18 – O Sumidouro

Estou com fome, não tem comida pra mim

Eu fico louco, não posso ficar assim

Lá no Guanabara tem uma turma

Que come, come e não para mais

É o Sumidouro

Que come tudo o que traz

(e o que não traz)

19 – Olha o Valdemar

Se você encontrar uma dona bem bonita

E com ela paquerar, lembre do Valdemar

Que ele está lhe acompanhando

Está querendo lhe apanhar

Mas se você deixar que a coisa vá chegando

E começa a namorar

Olhe o Valdemar, porque se você bobeia

Veja onde vai parar, olhe o Valdemar

Porque se você bobeia veja onde vai parar

Ra, ra, ra, ra, ra, ra, ra, ra, ra, ra, rá, ra, ra, ra-ah!

20 – Guanabara Espetacular

Guanabara, todo o mundo gosta de você

Guanabara, quem te vê não é capaz de te esquecer

Guanabara, nossa turma sempre há de te acompanhar

É na praia ou na escalada, no passeio ou caminhada

Pro ar livre você faz a gente andar (tra-la-lá)

No cinema ou no teatro, nossa festa é um espetáculo

Não há tempo melhor pra se passar

A turma toda sobe morro de mochila

Se o rapaz ajuda a moça carregando a sua bolsa

A moçada logo estrila

Nos nossos bailes, como dá “ragazza” bela

O rapaz tem simpatia e toda aquela alegria

Vale pra ele e pra ela!

O ano da boa idéia 2010

(Composição Tiago Rosa)

Foi no carnaval do JILÓ

Que tudo começou

Na garagem dos RIBEIROS

Só se precisava de coragem,,

Disposição e vinte cruzeiros.

SE A NATUREZA É NOSSO GUIA

COM FÉ NA ALEGRIA, SÓ O CUME INTERESSA

SÃO CINQUENTA ANOS DE CONQUISTAS

MONTANHAS, TRILHAS, CHAMINÉS

Foi o Guanabara, meu amor

Que te levou para

O último grampo nos espera

Vamos repelar e tomar umas no bar

No ano da boa idéia

Que quero te beijar

E só o cume interessa

Share

Comments are closed.