Parque Nacional do Itatiaia

Ninguém gosta de acordar às 3h na madruga de sábado, mas quando é para uma atividade de montanha, ainda vai. No sábado (19/04) foi uma dessas situações. Após ter dormido três horas, despertei e saí correndo de casa para encontrar com a galera no Largo do Machado.

A van partia para um dos lugares que mais me fascinam, e que me faz sorrir sempre que penso nele: Parque Nacional de Itatiaia, Sede Alta! As lembranças do último Reveillon passado no parque, das Agulhas Negras e do regresso a casa, debaixo de uma chuva tão, mas tão forte, que se torna libertadora, estiveram presentes assim que lá chegamos.

Antes de entrar no parque, a parada obrigatória na Garganta do Registro, com direito a queijos, café com leite e um forno a lenha ligado, para aquecer os dedos congelados.

Quando chegamos ao Posto Marcão descobrimos que além de nós, um outro grupo de 13 neguinhos seguia em direção à travessia, porém com um trajeto diferente, a partir da Cachoeira do Aiuruoca. Era um grupo mais lento que ia acampar no meio do caminho, e que ficou para traz antes das Agulhas Negras. A caminhada que margeia as Agulhas Negras, Asa de Hermes e Pedra do Altar de Ovos da Galinha é simplesmente linda. O dia estava lindo, muito limpo com o céu muito azul. Até às Agulhas eu já tinha ido, mas a parte da Pedra do Altar em diante era novidade. Chegando na linda cachoeira do Aiuruoca, fizemos uma pausa para almoço. Eu, Ivan, Maria Flavia e Fernando prontamente entramos na água ge-la-da da cachoeira mais alta (em altitude) do Brasil. O dia estava tão bonito, e o lugar é tão especial, que ainda valia um arco-íris na água.

Após o almoço seguimos a descida em direção à Serra Negra. É um caminho super bonito, e, uma vez chegando no vale, segue uma caminhada bem longa para dar a volta e chegar à esperada pousada do Sr. Anísio. Como a maior parte da trilha estava bem demarcada e tínhamos o GPS a nosso favor, seguimos o caminho tranquilamente. Porém, a caminhada demorou-se vááárias horas até chegar à esperada Pousada Pico da Serra Negra. Mas foi maravilhoso!!! Tinha banho bem quente e um jantar delicioso à nossa espera, para além da xiboquinha do Tio Luiz, que é 10!!!!

Há rumores de que foi o cansaço, outros que foi a birita, outros que foi problema de nascença, mas o que aconteceu é que quando acordei encontrei o Ivan e a Maria Flávia p*** da vida porque todos, sem exceção, tinham roncado de noite. Sobre esses assuntos não vale a pena refletir, fica a cargo da fragilidade da sonolência de cada um… eu própria, euzinha, fui acusada de o ter feito! Só posso dizer que não me lembro de nada…

A caminhada seguiu às 9h. Começamos subindo uma pirambeira que dá direito a uma vista fabulosa, depois começa a descida em direção a Mauá, bem tranquila e gostosa. A vegetação fica densa e muito bonita, cheia de barba de velho, bromélias e essas coisas de país tropical que fazem o gringo pasmar.

Chegamos à Maromba e pudemos ainda relaxar a carcaça na sauna da pousada das grutas, onde fomos almoçar.

Só posso acrescentar: a travessia foi muito, muito bonita, e bem tranquila. O grupo tava super animado. Parabéns ao guia e à turma. Nota 10!

Inês

Share

Leave a Comment