Descanse em Paz, Bernardo Collares

No dia 5 de janeiro a notícia do acidente do amigo e presidente da Federação de Montanhismo do Rio de Janeiro (Femerj), Bernardo Collares, atingiu em cheio o coração do montanhismo brasileiro. A notícia nos chegou através de um e-mail do André Ilha, pela lista da Federação. Com o uso das redes sociais, e com a velocidade da informação, em pouco tempo todo o Brasil tomou conhecimento sobre o fato, mas ninguém tinha muitos detalhes sobre o ocorrido.

Veículos da imprensa, ávidos pelo furo, começaram a publicar o pouco que se sabia (com informações deturpadas). Enquanto isso, entre ligações telefônicas, trocas de e-mails, posts, scraps, SMS´s, nosso mundo foi aos poucos se desmoronando.

Um mix de sentimentos pairou entre amigos, conhecidos e desconhecidos: as emoções oscilavam entre tristeza, esperança, angústia, saudade; além de alegria, orgulho e bravura – estes últimos, pela vida da Kika.

O tempo foi passando e, com ele, o restinho de esperança que ainda nos permitia sonhar. Bernardo se foi, nos deixando um grande legado de conquistas para o montanhismo.

Bernardo Collares estava em sua terceira investida ao Fitz Roys, na Patagônia Argentina. A montanha possui 3.405 metros de altitude. Ao que tudo indica, Berna (como é carinhosamente conhecido) fraturou a bacia e teve hemorragia interna.

Kika precisou descer em busca de ajuda e após dois dias chegou ao El Chalten onde informou às autoridades locais sobre o ocorrido. Devido ao mau tempo que se aproximava, pela falta de infra-estrutura necessária para um resgate em uma montanha tão complicada como a Fitz, autoridades e escaladores experientes concordaram que não seria possível alcançar o local para o resgate. Após muitas tentativas da família e amigos, a decisão foi de que Bernardo ficaria descansando numa montanha mágica.

Carla Vieira

Share

Leave a Comment