Arraiá no CEG

Toda última quinta-feira do mês, o CEG recebe os amigos com churrasco e caipirinha para a comemoração dos aniversários do mês. Esse é um momento de confraternização, de rever os amigos e marcar mais atividades para o final de semana! No dia 28/07, a comemoração foi em ritmo de Festa Julina! Confiram as fotos!

De Volta ao Passado

Os principais fatos do ano excursionista – 1960: Atendendo à solicitação formulada pelos responsáveis do Programa “Mais Perto do Céu”, apresentamos como fatos mais importantes do ano de 1960, os seguintes: No C.E.G.: 1º) Formação de dois guias excursionistas, diplomados pela Escola Técnica de Guias Excursionistas do Clube Excursionista Rio de Janeiro – CERJ. 2º) Aprovação do Estatuto do C.E.G. em Assembléia Geral, de 08/08/1960. 3º) Filiação do C.E.Guanabara à União Brasileira de Excursionismo. No excursionismo em geral: 1º) Descalada do Edifício São Borja, em 08/12/1960, patrocinada pela União Brasileira de Excursionismo (U.B.E.) e em combinação com os festejos do 1º Festival do Rio de Janeiro. 2º) Desapropriação, por parte … Continue lendo →

Bernardo Collares

Difícil e fácil escrever sobre o Bernardo. Difícil pela complexidade de realizações em sua vida: grande montanhista, grande dirigente, grande camarada. Fácil pela leveza em que levava sua vida. Conheci Bernardo em 1995, quando fazíamos karatê na Academia Kobukan, no Flamengo. Éramos alunos dos mestres Tanaka e do falecido Ronaldo. Nesta época, eu havia montado uma expedição ao sul do Chile, começando por Rio Gallegos (Argentina), indo a Torres del Paine, Pucon, Osorno e terminando nas montanhas de Bariloche. Estava com um problema: iria viajar com uma colega de trabalho e tinha uma namorada ciumenta. Consegui encaixar o Bernardo nesta viagem ao saber que ele iria para o Peru. E … Continue lendo →

Descanse em Paz, Bernardo Collares

No dia 5 de janeiro a notícia do acidente do amigo e presidente da Federação de Montanhismo do Rio de Janeiro (Femerj), Bernardo Collares, atingiu em cheio o coração do montanhismo brasileiro. A notícia nos chegou através de um e-mail do André Ilha, pela lista da Federação. Com o uso das redes sociais, e com a velocidade da informação, em pouco tempo todo o Brasil tomou conhecimento sobre o fato, mas ninguém tinha muitos detalhes sobre o ocorrido. Veículos da imprensa, ávidos pelo furo, começaram a publicar o pouco que se sabia (com informações deturpadas). Enquanto isso, entre ligações telefônicas, trocas de e-mails, posts, scraps, SMS´s, nosso mundo foi aos … Continue lendo →